Páginas

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

"Por problemas técnicos, estaremos arrombando o rabo da nação"



A principal diferença entre o Regime Militar e o lulo-petismo é a honestidade -- inexistente neste, abundante naquele. 

O único grande feito -- realmente incontestável -- dos militares foi adiar em quatro décadas a cubanização institucional do Brasil. À época, isso foi grande obra. Por outro lado, permitiram desde sempre a cubanização na área cultural; como bons positivistas e com a falta de visão da praticidade ordinária, não perceberam que ganharam a batalha na força mas que deixavam o campo escancarado para o inimigo nas universidades, nas editoras e na imprensa. Ademais, cometeram sucessivos descalabros na área econômica.

Por sua vez, a dinastia Lula, do "partido da ética", age sempre dentro dos conformes. Não pressiona ou constrange empresários; apenas alicia as elites, o grande empresariado, com linhas de crédito, subsídios e vantagens tributárias -- quando não constrói seus próprios cases de sucesso empresarial, como Eike Batista, para dar autoridade a um mercado livre de faz-de-conta (E quem no Brasil tem mais autoridade do que aquele que ganhou muito dinheiro?). Não fecha revistas e jornais à força, não censura artistas e escritores; apenas chantageia indiretamente a imprensa e a intelectualidade, que, se andarem fora da linha, perdem os patrocínios estatais -- e não adianta recorrer à iniciativa privada, ela está de joelhos ante o Estado. Não acaba com as eleições diretas nem com o Estado democrático de direito; mas garante o voto das classes baixas, com Bolsa Família e demais assistencialismos, e das classes médias, com uma imensa fábrica de concessão de bolsas de estudo e de impressão diplomas de graduação, mestrado e doutorado para jovens burgueses ineptos, que, se vivessem em um ambiente honesto, teriam sérias dificuldades para ir além do primeiro ano do ensino fundamental -- mas, aqui, tornam-se os professores e intelectuais que articulam o discurso oficial entre os superiores e inferiores da sociedade.

Malvados eram os militares, que faziam merda e censuravam às claras. (Aliás, a censura atingia tão-somente apologistas e amantes dos genocídios comunistas, como Caetano Veloso, Chico Buarque e Gilberto Gil.) Bom é o PT, que não censura, sofre com falhas técnicas. Não privatiza; faz parcerias. Não corrompe; troca favores

Nenhum comentário:

Postar um comentário