Páginas

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Goebbels é fichinha


Fugindo à praxe de nossa imprensa lobotomizada, da qual é eminente representante, a Superinteressante (aqui) apresenta uma lista que expõe líderes socialistas como os maiores genocidas da História (em números absolutos e relativos).

Contudo, para manter-se fiel à idiotia jornalística nacional, a revista incorre em uma estupidez impressionante: em uma atitude brasileiríssima, confunde ação e reação, causa e efeito, informação e opinião. Pouco importa se o faz por confusão derivada de nescidade ou por mau-caratismo deliberado; em qualquer caso, o resultado é igualmente mendaz.



Antes de apresentar a referida lista, com os nomes dos genocidas e seus milhões de mortos, o sr. Roberto Navarro (autor do texto) usa uma chamada bem ao estilo dessas revistas moderninhas: O Bope é fichinha. O problema, é que essa "sacada" mistura conceitos, produzindo, ou reforçando, em leitores medíocres (que representam a maioria dos leitores da publicação) o preconceito contra a polícia.

Se o BOPE mata (efeito), é por reação à ação da bandidagem (causa). Já os genocidas listados tinham o assassínio por prática ordinária, sendo da natureza de seus regimes matar quem a eles se opusesse. Relacionar o expediente extraordinário do BOPE à essência de líderes, regimes e ideologias genocidas demonstra toda a desinformação e/ou toda a indecência do jornalista (que o faz) e da revista (que o publica).

O leitor médio, que nutre suas opiniões com o bolor de nossa grande imprensa, não sendo capaz de distinguir a informação histórica (da lista dos maiores genocidas) e a opinião obscena (do sr. Roberto Navarro, de que o BOPE é comparável aos genocidas), alimenta seu preconceito contra a polícia, cultivado há muito por nossos formadores de opinião.

Joseph Goebbels teria muito a aprender com o "jornalismo" brasileiro.



Superinteressante - BOPE - genocídio - genocidas - socialismo - Pol Pot - Mao Tsé-Tung - Joseph Stalin - jornalismo - Goebbels - desinformação

Nenhum comentário:

Postar um comentário