Páginas

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Fascismo e Covardia na UFRGS

Queridos mestres de alguns dos alunos da UFRGS
Publicado originalmente, por este autor, no blog Taberneiro Veloz, em 10 de março de 2010.


Depois de quase um ano, estamos de volta.

Esperamos que dessa vez seja para ficar.


***


Peço que o amigo leitor assista a este vídeo antes de ler esse texto: ASSISTIR.


Agora sim, à leitura…


Todos sabemos o que é fascismo e nazismo porque estamos acostumados, desde os bancos escolares, a tomar conhecimento da nocividade desses regimes que, felizmente, são apenas páginas viradas na história. Entretanto, por motivos escusos, o mesmo tratamento não é dado aos regimes socialistas. Revestidos de uma aura messiânica, do alto de uma auto-proclamada moralidade suprema, os socialistas, por definição e prática, querem garantir a liberdade de todos – mesmo que para isso tenham que matar quase todos…

O nazismo e o fascismo são, com razão, amplamente condenados por terem agido arbitrariamente, eliminando seus opositores. Os regimes socialistas, apesar de terem fins distintos do nazi-fascismo (ou nem tanto), utilizaram-se e utilizam-se dos mesmos meios, do mesmo modus operandi, ou seja, matam, excluem, ignoram e calam todos os seus opositores.

Na última sexta-feira, 05 de março de 2010, militantes (alguns se dizem estudantes) declaradamente esquerdistas, integrantes e simpatizantes de partidos de esquerda e da democrática Via Campesina, agrediram membros do DCE da Universidade Federal do Rio Grande do Sul que votariam um projeto no Conselho Universitário.

O projeto, de fato, é extremamente nocivo aos parasitas esquerdistas: o Parque Tecnológico da UFRGS. Por que nocivo? Porque falar de trabalho, de produção intelectual e de tecnologia para essa corja é uma ofensa. Os militantes presentes nesse protesto e regularmente matriculados na UFRGS (recuso-me a chamá-los de estudantes) estão acostumados a receber tudo da grande mãe pátria: faculdade, alimentação, moradia, bolsas para pesquisas inúteis que, em geral, não contribuirão em nada para o desenvolvimento da comunidade, etc. Sou estudante dessa instituição e presencio in loco o que estou afirmando.

Pois bem, vamos aos fatos. Quem está sendo chamado de fascista nesse vídeo são integrantes do Diretório Central dos Estudantes da UFRGS, representantes de uma chapa histórica, uma chapa NÃO esquerdista – fato raríssimo, pois os estudantes profissionais da esquerda dominam os DCEs pelo Brasil. Essa chapa conquistou o direito de estar à frente dos interesses estudantis por um ano no voto.

O fascismo, o nazismo, o socialismo, o comunismo são irmãos, filhos do totalitarismo. O socialismo, defendido com unhas e dentes e muita covardia pelos militantes desse vídeo, contrários à implantação de um burguês/capitalista/fascista/malvado Parque Tecnológico, produziu cerca 100 milhões de vítimas, escancarando que a violência comunista não foi mera aberração da psique soviética, mas, sim, elemento inerente à engenharia social marxista, que, querendo reformar a sociedade pela força, transforma os dissidentes primeiro em inimigos e, depois, em vítimas.

Pois são defensores dessas práticas “humanistas” que impediram o estudante Marcel van Hattem e demais membros do DCE e do Conselho Universitário de entrarem na sessão que discutiria o projeto do Parque. Foram esses bandidos (desculpa, mas, como eu chamo quem opta por esconder o rosto e não dizer o seu nome em frente às câmeras?) que acusaram de fascistas os integrantes do DCE.

Aproxima-se muito mais do fascismo as atitudes agressivas desses militantes esquerdistas. Que são agressivos, porém COVARDES, pois agem apenas com seus bandos, orientados por seus líderes e recuam a qualquer sinal de perigo real.
Covardes e patéticos. Ou algo é mais patético nesse vídeo que, a 3min57s, um militante mostrando seus gravíssimos ferimentos, frutos da ação violentíssima da polícia? Se a polícia agisse com a mesma agressividade que essa corja, esse rapaz choroso não estaria expondo tão sadiamente a opressão que sofreu.

Alguma dúvida da covardia dessa gente? Convide qualquer um dos militantes que aparecem nesse vídeo, ou um militante de sua preferência, para um debate honesto de ideias, com respeito às colocações do interlocutor e sem interferência da sua claque com jeito de torcida de gincana escolar. O máximo que você conseguirá é ser chamado de fascista, por estar alijando do debate os outros companheiros e camaradas do militante.

Apesar de já haver cogitado inúmeras vezes uma aproximação dos integrantes do DCE (2009/2010), em função dos estudos e do trabalho jamais levei a cabo tal desejo. Entretanto, em face desses acontecimentos, me vejo obrigado a levar meu apoio e ajudar como for possível para que essa instituição não volte para a mão de covardes, bandidos (é assim que se chama quem esconde o rosto da forma como vemos no vídeo, não?) e vagabundos. Nem que seja tão somente manifestando minha solidariedade.

Esse texto não representa a opinião da atual administração do DCE. Não conheço nem tenho qualquer tipo de contato com nenhum de seus integrantes. Apenas sou um estudante extremamente envergonhado por ter como colegas semelhantes antílopes. Um bando de infanto-debilóides que, vê-se claramente no vídeo, age com a Polícia como aquela criancinha carente de atenção, que provoca seu irmãozinho até que ele lhe dê uns cascudos e, aí, vai imediatamente chorar para a mamãe.

Fico me perguntando se eles acham que poderiam fazer tal protesto “pacífico” na amada Cuba, monarquia comandada pela dinastia Castro.

Um conselho à Polícia e ao Ministério Público: se quiserem encontrar alguns desses bem intencionados militantes não percam tempo indo às suas faculdades; salas de aula são os locais menos frequentados por esses parasitas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário